Slim Fit

38,00 

Suplemento alimentar com: Citrin® K, Spirulina, Laranja Amarga, Centelha Asiática, Gengibre, L-Carnitina, Cardo Mariano, Café Verde, Pimenta Caiena e Crómio.

⚠️ Atenção: Contém edulcorantes.

Apresentação: frasco com 500 ml

REF: 202111.SP Categorias: ,
Ingredientes Slim FitToma Diária: 30 ml
Tomas por embalagem: 16
%VRN*
Citrin® K1500 mg**
Spirulina maxima, Spirulina1500 mg**
Extrato hidrofílico Citrus aurantium, Laranja Amarga900 mg**
Extrato hidrofílico Centella asiatica, Centelha600 mg**
Extrato hidrofílico Zingiber officinale, Gengibre600 mg**
L-Carnitina300 mg**
Extrato hidrofílico Silybum marianum, Cardo Mariano180 mg**
Extrato seco Coffea arábica, Café Verde150 mg**
(Ácido clorogénico)67,50 mg**
Extrato hidrofílico Capsicum annum, Pimenta Caiena90 mg**
Crómio40 mcg100%
*VRN estabelecida pelo Regulamento (UE) Nº 1169/2011 do Parlamento Europeu e do Conselho, de 25 de Outubro de 2011. **VRN (valor de referência nutricional não estabelecida)

Informações Complementares

Diluir 30 ml em 1,5 litros de água e beber ao longo do dia.

Agente de Volume: Água Purificada; Citrin® K; Spirulina maxima, Spirulina – Pó; Extrato Hidrofílico Citrus aurantium, Laranja Amarga – Casca; Extrato Hidrofílico Centella asiatica, Centelha – Folhas; Extrato Hidrofílico Zingiber officinale, Gengibre – Raíz; L-Carnitina Base; Extrato Hidrofílico Silybum marianum, Cardo Mariano – Planta; Aroma; Extrato Seco Coffea arábica, Café Verde – Sementes, 45% Ácido Clorogénico; Extrato Hidrofílico Capsicum annum, Pimenta Caiena – Fruto; Conservantes: Benzoato de Sódio, Sorbato de Potássio; Regulador de Acidez: Citrato de Sódio Dihidratado; Antioxidante: Galhato de Propilo; Edulcorante: Glicosídeos de Esteviol; Picolinato de Crómio (Crómio).

✔ O crómio contribui para o normal metabolismo dos macronutrientes.
✔ O crómio contribui para a manutenção de níveis normais de glicose no sangue.

Agitar antes de tomar. Produto sujeito a depósito. Não exceder a toma diária recomendada. Os suplementos alimentares não devem ser utilizados como substitutos de um regime alimentar variado. É importante um regime alimentar equilibrado e um modo de vida saudável. Não se recomenda a utilização deste produto em caso de gravidez e aleitamento. O produto não deve ser utilizado no caso de hipersensibilidade, alergia e quando estejam descritas interações de outro produto com qualquer um dos constituintes da formulação. Preservar ao abrigo da luz, do calor e da humidade. Conservar em local seco na embalagem original e a temperatura inferior a 25ºC. Manter fora do alcance e da visão das crianças.

Apesar de integralmente sustentada em fontes de referência com reconhecido valor e prestígio nacional e internacional, a informação contida nestas páginas não pode ser considerada como exaustiva ou, apesar de todos os esforços de melhoria contínua, isenta de incorreções inadvertidas. As plantas e seus derivados utilizados na preparação de suplementos alimentares têm efeitos nutricionais, e podem interagir com medicamentos e outros suplementos. A sua inclusão em produtos para consumo humano obriga à prévia determinação de segurança, porém, essa segurança depende de uma utilização responsável. A Spell One e Biovip não assume qualquer responsabilidade por problemas decorrentes da má utilização da informação disponibilizada. Se precisar de aconselhamento específico, deverá recorrer diretamente a um profissional devidamente qualificado.

Principais Ingredientes

Citrin K®, obtido da Garcinia cambogia, é um auxiliar natural para perda de peso que demonstrou ser eficaz em estudos pré-clínicos e clínicos.

Compete com o citrato pela atividade enzimática da ATP citrato liase no citoplasma. Como resultado, menos acetil coenzima A é formada a partir do citrato já que é o precursor de ácidos graxo.

Por causa disso, Citrin® K consegue:
suprimir a lipogênese, estimular a taxa metabólica de queima de gordura e diminuir o apetite.

A supressão do apetite e a indução da perda de peso tem a patente dos EUA 5783603 enquanto a produção de ácido hidroxítrico de potássio e composições contendo o ácido hidroxítrico de potássio, obteve a patente nos EUA 6770782.

Bibliografia:

1. https://sabinsa.com/newsroom/sabinsa-products-faq/citrin-faq

A spirulina ou espirulina é uma microalga, considerada um superalimento, que pode ser usada como suplemento alimentar ou na cosmética, já que é uma excelente fonte de proteínas, minerais, vitaminas do complexo B, ferro e antioxidantes, como a ficocianina e o ácido gálico.

A spirulina é rica em antioxidantes, como vitamina A e C, que ajudam a diminuir o dano celular causado pelos radicais livres e, consequentemente, prevenindo o envelhecimento precoce das células. Além disso, esses compostos também ajudam a cuidar da pele, prevenindo a formação de rugas e evitando a flacidez.

É uma fonte maravilhosa de clorofila, contribuindo para que a pele retenha humidade, a principal chave para manter a aparência de uma pele mais suave e hidratada. Entre os seus benefícios destacam-se: melhoria da elasticidade de pele, retarda o processo de envelhecimento da pele, estimula o metabolismo da pele a nível celular e estimula a restauração de tecidos.

Bibliografia:

1. Dinicolantonio, James et al. Effects of spirulina on weight loss and blood lipids: a review. National Library of Medicine. Vol.7. 1.ed; 2020.
2. Kalafati M, Jamurtas AZ, Nikolaidis MG, et al. “Ergogenic and antioxidant effects of spirulina supplementation in humans.” Med Sci Sports Exerc. 2010;42(1):142-51.
3. McCarty MF. “Clinical Potential of Spirulina as a Source of Phycocyanobilin.” J Med Food. 2007;10(4):566-70.

A laranja-amarga é uma planta medicinal, da espécie Citrus aurantium, muito utilizada como um suplemento dietético para auxiliar no tratamento da obesidade, pois é rica em p-sinefrina, que ajuda a diminuir o apetite e aumentar o metabolismo.

Tem uma forte ação antioxidante que ajuda no reparo da pele danificada, rugas e cicatrizes. Essa ação faz com que, apesar de que o processo natural de envelhecimento ocorra para que a sua pele obter um ar mais jovem uma vez que também ajuda a equilibrar a produção de sebo e atua como um suave e eficaz antisséptico.

Possui cheiro cítrico, fresco e intenso, com uma pequena diferenciação entre aromas doces e levemente amargos. É considerado o óleo da alegria, do prazer de viver .Tem a capacidade de estimular o positivismo e a sensação de bem-estar. Liberta a energia estagnada no corpo, ajudando a ter mais serenidade e tranquilidade para lidar com emoções fortes pois ajuda a aliviar o stress, o nervosismo e a depressão. Ótimo para pessoas que se sentem desanimadas ou desencorajadas diante de situações adversas. Traz movimento e força para agir de forma positiva.

Bibliografia:

1. McKay DL, Blumberg JB. “The role of tea in human health: an update.” J Am Coll Nutr. 2002;21(1):1-13.
2. Higdon JV, Frei B. “Tea catechins and polyphenols: health effects, metabolism, and antioxidant functions.” Crit Rev Food Sci Nutr. 2003;43(1):89-143.
3. Elmets CA, Singh D, Tubesing K, et al. “Cutaneous photoprotection from ultraviolet injury by green tea polyphenols.” J Am Acad Dermatol. 2001;44(3):425-32.
4. Chung JH, Han JH, Hwang EJ, et al. “Dual mechanisms of green tea extract (EGCG)-induced cell survival in human epidermal keratinocytes.” FASEB J. 2003;17(13):1913-5.
5. Fujimura Y, Ueda C, Yuan Y, et al. “Comparison of short-term repeated application and long-term dietary supplementation of sunscreen agent, Polypodium leucotomos extract, and green tea extract on the minimal erythema dose.” J Dermatol Sci. 2012;66(1):54-60.
6. Hsu S. “Green tea and the skin.” J Am Acad Dermatol. 2005;52(6):1049-59.

A literatura científica tem demonstrado importantes benefícios para a saúde da Centelha Asiática, atuando como antidiabética e cardioprotetora e na melhoria do suporte vascular, dada a sua ação diurética, hipotensora e antidislipidémica 1. A capacidade diurética da Centelha asiática contribui para a redução da retenção de líquidos, melhoria da microcirculação sanguínea e do tónus venoso, reforçando a função vascular e reduzindo o desconforto, edema e sensação de pernas cansadas.

Demonstrando, ainda, capacidade antitumoral, antimicrobiana, imunoestimulante, antioxidante, ansiolítica e adaptogénica, contribuindo para uma atividade neuroprotetora, melhoria do desempenho cognitivo e memória.

Vários estudos experimentais demonstraram que a Centelha asiática exerce uma ação normalizadora sobre o metabolismo do tecido conjuntivo. Especificamente, ela amplia a integridade do tecido conjuntivo estimulando a síntese de glicosaminoglicano, sem promover a síntese excessiva de colagénio ou o crescimento celular.

Os glicosaminoglicanos são os componentes principais da substância essencial onde as fibras de colagénio são incrustadas, isto é, da matriz intracelular amorfa que circunda os vasos sanguíneos e que ajudam a dar estrutura. O efeito da Centelha no tratamento da celulite está relacionado com a capacidade de ampliar a estrutura de tecido conjuntivo e reduzir a esclerose, enquanto a sua ação na insuficiência venosa e veias varicosas é uma combinação dos seus efeitos sobre o tecido conjuntivo e a sua capacidade de regular o fluxo sanguíneo através dos membros afetados.

Ao nível da pele, a aplicação tópica de cosméticos com extrato de centelha asiática pode ser utilizada como uma possível estratégia para prevenir e modular o dano oxidativo, sendo ainda valorizada pelas suas propriedades cicatrizantes. Estas formulações demonstram eficácia na melhoria da hidratação da pele ao aumentar o estado de hidratação à superfície e ao diminuir a perda de água transepidérmica. Como tal, estes extratos são um ingrediente eficaz, não só em cosméticos anti-idade, como também como complemento do tratamento da pele seca e sensível.

Bibliografia:

1. Hamidpour R. Medicinal Property of Gotu kola (Centella asiatica) from the Selection of Traditional Applications to the Novel Phytotherapy. Arch Cancer Res. 2015;3(4):1-7. doi:10.21767/2254-6081.100042
2. Abascal K, Yarnell E. Botanicals for chronic venous insufficiency. In: Alternative and Complementary Therapies. ; 2007:304-311. doi:10.1089/act.2007.13609
3. Bandara MS, Lee EL, Thomas JE. Gotu Kola (Centella asiatica L.); An Under-utilized Herb. Am J Plant Sci Biotechnol. 2011;5(2):20-31.
4. Tiwari S, Gehlot S, Gambhir IS. Centella Asiatica: a Concise Drug Review With Probable Clinical Uses. J Stress Physiol Biochem. 2011;7(1):38-44.
5. Chandrika UG, Prasad Kumara PAAS. Gotu Kola (Centella asiatica): Nutritional Properties and Plausible Health Benefits. In: Advances in Food and Nutrition Research. ; 2015:125-157. doi:10.1016/bs.afnr.2015.08.001
6. Provino R. The role of adaptogens in stress management. Aust J Med Herbal. 2010;22(2):41-49.
7. Sarris J, Panossian A, Schweitzer I, Stough C, Scholey A. Herbal medicine for depression, anxiety and insomnia: A review of psychopharmacology and clinical evidence. Eur Neuropsychopharmacol. 2011;21:841-860. doi:10.1016/j.euroneuro.2011.04.002
8. Yasurin P, Sriariyanun M, Phusantisampan T. Review: The Bioavailability Activity of Centella asiatica. KMUTNB Int J Appl Sci Technol. 2015;9(1):1-9. doi:10.14416/j.ijast.2015.11.001
9. Ratz-Łyko A, Arct J, Pytkowska K. Moisturizing and Antiinflammatory Properties of Cosmetic Formulations Containing Centella asiatica Extract. Indian J Pharm Sci. 2016; 78(1): 27-33.

Amplamente conhecido e utilizado como um condimento alimentício, apresenta propriedades gastroestimulantes que favorecem a ação digestiva gástrica. Este ingrediente tem ganho relevância e notoriedade, graças à sua riqueza em vários derivados triterpénicos e gingeróis.

Estudos demonstram uma actividade antioxidante, anti-lipidérmica e promotora da secreção de saliva, bílis e sucos gástricos. Esta conjugação de factores leva a uma digestão mais eficiente e equilibrada. Alivia também digestões perturbadas pelo enjoo do movimento e enjoo matinal.

Nos testes realizados in vitro e in vivo, o Gengibre demonstrou desempenhar um papel relevante na neutralização da toxicidade induzida pela exposição ao chumbo (Pb), ajudando a prevenir danos neurais, hepáticos, renais e hematopoiéticos. Para além disso, ajuda na prevenção de danos mitocondriais e apoptose induzidos pela exposição ao Cádmio, nos ensaios in vitro.

Com base nestes estudos, foi possível concluir as propriedades antioxidantes protetoras atribuídas ao Gengibre, especialmente contra a toxicidade causada pelo cádmio e chumbo, estava atribuída à sua riqueza e composição privilegiada em compostos orgânicos sulfurados, tal como o dialil tetrasulfídio.

Estes compostos organo sulfurados também podem ser encontrados em outras espécies alimentares, tal como a cebola e o alho. A sua capacidade de quelação dos metais pesados, providenciada por aminoácidos sulforados (S-alil cisteína e S-alil mercaptocisteína) e compostos com grupos amina e carboxil, é responsável por promover a excreção de chumbo e de cádmio do organismo.

A suplementação com gengibre demonstrou, através de ensaios in vivo, a capacidade de atenuar as consequências da toxicidade ao nível renal, das gónadas e espermático.

Para além disso, parece desempenhar um papel estimulante sobre o sistema circulatório, ajudando a estimular a perfusão do sangue e melhorando a circulação.

Bibliografia:

1. Zhai Q, Narbad A, Chen W. Dietary strategies for the treatment of cadmium and lead toxicity. Nutrients. 2015;7(1):552-571.
2. Ali, Badreldin H.; et al. Some phytochemical, pharmacological and toxicological properties of ginger (Zingiber officinale Roscoe): A review of recent research. Food and Chemical Toxicology. 46. 409–420, 2008.
3. Hasani, Hossein; et al. Does ginger supplementation lower blood pressure? A systematic review and meta‐analysis of clinical trials. Phytotherapy Research. 1-9, 2019.
4. Nishidono Y., Saifudin A., Nishizawa M., Fujita T., Nakamoto M., Tanaka K. Identification of the chemical constituents in Ginger (Zingiber officinale) responsible for thermogenesis. Nat. Prod. Commun. 2018;13:869–873.
5. Shahrajabian M. H.; Sun W.; Cheng Q. Clinical aspects and health benefits of ginger (Zingiber officinale) in both traditional Chinese medicine and modern industry. Acta Agric. Scand., Sect. B 2019, 69, 546–556.
6. Mohammed A.; Ali A.; Owais M.; Yagi S. In vitro anti-inflammatory activity of ginger (Zingiber officinale Rosc.) rhizome, callus and callus treated with some elicitors. J. Med. Plants Res. 2019, 13, 227–235. 10.5897/JMPR2019.6758.

 

A carnitina é um aminoácido que participa do transporte das gorduras, desde os adipócitos até as mitocôndrias das células, que é o local em que a carnitina é transformada em energia quando o organismo necessita.

A L-carnitina é a forma biologicamente ativa da carnitina e é armazenada principalmente nos músculos, sendo muito utilizada em suplementos com o objetivo de potenciar a queima de gordura, gerar mais energia para os músculos e melhorar o desempenho físico, sendo muito consumido por atletas ou pessoas que desejam baixar de peso.

A carnitina pode servir para diversas funções no organismo, trazendo alguns benefícios, como:

• Aumento das defesas do corpo, já que pode exercer ação antioxidante, eliminando os radicais livres;
• Melhora do rendimento e desempenho durante a realização de atividade física intensa;
• Melhora do fluxo sanguíneo em pessoas com claudicação intermitente, que é uma condição caracterizada por dor ou cãibra excessiva durante o exercício físico;
• Melhora da qualidade do esperma em homens que são inférteis;
• Diminui a fadiga em pessoas idosas com baixa resistência muscular e em pessoas com encefalopatia hepática;
• Estimula as capacidades cognitivas, como memória, aprendizagem e atenção.

Bibliografia:

1. Mongioi A, Calogero E, et al. The role of carnitine in male infertility. Andrology Journal. 4. 5; 1-8, 2016.
2. Mor Ahmet, Baynaz Kadir et al. Effect of L-Carnitine Supplementation on Weight Loss and Body Composition of Taekwondo Players. Journal of Sports Education. 1. 1-7, 2018.
3. Malaguarnera M, Vacante M, et al. Oral acetyl-L-carnitine therapy reduces fatigue in overt hepatic encephalopathy: a randomized, double-blind, placebo-controlled study.. The American Journal of Clinical Nutrition. 93. 4; 799-808, 2011.
4. Pooyandjoo M, Nouhi M et al. The effect of (L-)carnitine on weight loss in adults: a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. Obesity Reviews. 17. 10; 1-7, 2016.

O Cardo Mariano, cujo nome científico é Silybum marianum, é uma das plantas mais estudadas no trata­mento de doenças hepáticas. Tem um uso tradicional como alimento, tónico, galactogogo e em afeções endócrinas, digestivas e depressão .

Os principais compostos bioativos do Cardo Mariano são três flavonoides isómeros naturais, conhecidos no seu conjunto como Silimarina, e que estão concentrados sobretudo no fruto e nas sementes desta planta. A Silimarina atua como um antioxidante, ao reduzir a produção de radicais livres e a peroxidação lipídica, possui atividade antifibrótica e inibe a ligação de toxinas aos recetores membranares dos hepatócitos, atuando como um protetor hepático e um desintoxicante na­tural. As suas propriedades regeneradoras hepáticas devem-se à sua capacidade de induzir o aumento da síntese proteica nos hepatócitos , além de diminuir os níveis de malondialdeído (MDA) e aumentar significativamente a atividade antioxidante da gluta­tiona (GSH).

A silimarina tem sido muito utilizada no tratamento de distúrbios da vesícula biliar (colerético), doença hepática, cirrose, icterícia, hepatites virais agudas e crónicas e doenças hepáticas induzidas por toxinas. Para além disto, beneficia o sistema nervoso com efeitos neuroprotetores via mecanismos antioxidantes e anti-inflamatórios, bem como potencial antidepressivo.

As suas propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e pró-apoptóticas têm-se revelado muito úteis ao nível da cardio, neuro e hepatoproteção.

Tem vindo a demonstrar propriedades benéficas na proteção renal, capacidade hipolipemiante, atividade anti-aterosclerótica, e revelou-se útil na prevenção da resistência à insulina, especialmente em doentes cirróticos e oncológicos.

Bibliografia:

1. Camini FC, Costa DC. Silymarin: not just another antioxidant. J Basic Clin Physiol Pharmacol. 2020:1-12. doi:10.1515/jbcpp-2019-0206
2. Neha, Jaggi AS, Singh N. Silymarin and Its Role in Chronic Diseases. In: S.C. Gupta et al., ed. Drug Discovery from Mother Nature. Springer International Publishing Switzerland 2016; 2016:25-44. doi:10.1007/978-3-319-41342-6
3. Greenlee H, Abascal K, Yarnell E, Ladas E. Clinical applications of Silybum marianum in oncology. Integr Cancer Ther. 2007;6(2):158-165. doi:10.1177/1534735407301727
4. Shaker E, Mahmoud H, Mnaa S. Silymarin, the antioxidant component and Silybum marianum extracts prevent liver damage. Food Chem Toxicol. 2010;48:803-806. doi:10.1016/j.fct.2009.12.011
5. Abenavoli L, Capasso R, Milic N, Capasso F. Milk thistle in liver diseases: Past, present, future. Phyther Res. 2010;24:1423-1432. doi:10.1002/ptr.3207
6. Vargas-Mendoza N, Madrigal-Santillán E, Morales-González Á, et al. Hepatoprotective effect of silymarin. World J Hepatol. 2014;6(3):144-149. doi:10.4254/wjh.v6.i3.144
7. Milić N, Milošević N, Suvajdžič L, Žarkov M, Abenavoli L. New therapeutic potentials of Milk thistle (Silybum marianum). Nat Prod Commun. 2013;8(12):1801-1810. doi:10.1177/1934578×1300801236
8. Bahmani M, Shirzad H, Rafieian S, Rafieian-Kopaei M. Silybum marianum: Beyond Hepatoprotection. J Evidence-Based Complement Altern Med. 2015;20(4):292-301. doi:10.1177/2156587215571116

O café verde, do inglês green coffee, é um suplemento alimentar rico em ácido clorogênico e cafeína, que têm ação antioxidante e termogênica, que age estimulando o metabolismo e fazendo com que o organismo gaste mais energia mesmo em repouso, além dificultar a absorção de gordura, sendo indicado para emagrecer. Além disso, o café verde ajuda a reduzir a absorção de glicose após as refeições, o que pode ajudar a regular os níveis de açúcar no sangue.

Tem propriedades antioxidantes e termogénicas, especialmente devido ao ácido clorogénico presente em sua composição e, por isso, pode ser indicado para auxiliar no tratamento de obesidade, diabetes ou pressão alta em hipertensos leves.

Além disso, por conter cafeína, o café verde pode ajudar a melhorar a disposição, a sensação de bem estar e a reduzir a sonolência e o cansaço.

Bibliografia:

1. TEMPLE, J. L.; et al. The Safety of Ingested Caffeine: A Comprehensive Review. Front Psychiatry. 8. 80, 2017
2. BAUER, D.; et al. Effect of Roasting Levels and Drying Process of Coffea canephora on the Quality of Bioactive Compounds and Cytotoxicity. Int J Mol Sci. 19. 11; 3407, 2018
3. CHOI, B. K.; et al. Green coffee bean extract improves obesity by decreasing body fat in high-fat diet-induced obese mice. Asian Pac J Trop Med. 9. 7; 635-43, 2016
4. KOMORITA, Y.; et al. Additive effects of green tea and coffee on all-cause mortality in patients with type 2 diabetes mellitus: the Fukuoka Diabetes Registry. BMJ Open Diabetes Res Care. 8. 1; e001252, 2020
5. LUDWIG, I. A.; et al. Coffee: biochemistry and potential impact on health. Food Funct. 5. 8; 1695-717, 2014
6. FARAH, A.; et al. Chlorogenic acids from green coffee extract are highly bioavailable in humans. J Nutr. 138. 12; 2309-15, 2008
7.SANLIER, N.; ATIK, A.; ATIK, I. Consumption of green coffee and the risk of chronic diseases. Crit Rev Food Sci Nutr. 59. 16; 2573-2585, 2019

O ácido clorogênico (CGA) é um tipo de composto fitoquímico benéfico para a saúde de algumas formas: ajuda no controle da pressão arterial, na regulação da glicemia, no controle do colesterol entre outros.

O composto também reduz o risco de doenças cardiovascular, especialmente a hipertensão (pressão arterial elevada). Em resumo, o fitoquímico inibe a ação de uma enzima que produz hormônios responsáveis por elevar a pressão sanguínea.

Além da pressão arterial, o composto ajuda a regular o colesterol. Mais especificamente, ele atua no controle do colesterol considerado mau, o LDL. Não só, auxilia no aumento do nível do colesterol bom, o HDL. Sendo assim, isso previne problemas cardiovasculares como ataques cardíacos.

Alguns estudos têm mostrado que o ácido clorogênico emagrece pois pode inibir o acúmulo de gordura causando a perda de peso em animais e seres humanos. Ele também ajudaria a reduzir as concentrações de glicose após a ingestão, e reduziria a absorção desta pelo intestino delgado. Especula-se que o suplemento de grãos de café verde poderia alterar o nível de hormônios envolvidos na distribuição da gordura e no uso de energia pelo organismo.

Bibliografia:

1. Niggeweg R., Michael A.J., Martin C. Engineering plants with increased levels of the antioxidant chlorogenic acid. Nat. Biotechnol. 2004;22:746–754.
2. Lou Z., Wang H., Zhu S., Ma C., Wang Z. Antibacterial activity and mechanism of action of chlorogenic acid. J. Food Sci. 2011;76:M398–M403.
3. Jin S., Chang C., Zhang L., Liu Y., Huang X., Chen Z. Chlorogenic acid improves late diabetes through adiponectin receptor signaling pathways in db/db mice. PLoS ONE. 2015;10:e0120842.
4. Liang N., Kitts D.D. Role of chlorogenic acids in controlling oxidative and inflammatory stress conditions. Nutrients. 2016;8:16.
5. Meng S., Cao J., Feng Q., Peng J., Hu Y. Roles of chlorogenic acid on regulating glucose and lipids metabolism: A review. Evid. Based Complement. Alternat. Med. 2013;2013:801457.

A pimenta caiena é um fruto que promove muitos benefícios para a saúde, como favorecer o emagrecimento, ajudar no tratamento da psoríase, aumentar a libido, melhorar a circulação e aliviar as dores.

Esses benefícios são possíveis, porque a pimenta caiena é um condimento rico em capsaicina, flavonoides e betacaroteno, que são compostos alcalóides e carotenos com propriedades antioxidantes, analgésicas, termogênicas e anti-inflamatórias.

Por ter ótimas quantidades de capsaicina, um composto alcaloide com efeito termogênico, a pimenta caiena estimula a queima de gordura corporal, ajudando no emagrecimento.

Além disso, a pimenta caiena também reduz a velocidade de digestão dos alimentos, diminuindo a fome ao longo do dia e favorecendo, assim, na perda de peso.

No entanto, para ajudar a emagrecer, a pimenta caiena deve fazer parte de uma dieta saudável, associada à práticas regulares de atividades físicas.

Por aumentar a frequência cardíaca, melhorando a circulação de sangue, além de promover a sensação de bem-estar e prazer, a pimenta caiena ajuda a promover a libido.

A pimenta caiena melhora a circulação sanguínea, porque é rica em capsaicina, um composto bioativo que promove a liberação de óxido nítrico, um composto que relaxa a musculatura das veias e artérias, facilitando a circulação de sangue.

Por conter luteína, zeaxantina e betacaroteno, que são carotenoides com ação antioxidante, a pimenta caiena protege as células da pele contra os danos provocados pelos radicais livres, prevenindo a formação de rugas, a flacidez e o envelhecimento precoce.

Por ser uma boa fonte de compostos bioativos antioxidantes e anti-inflamatórios, como capsaicina, betacaroteno e flavonóides, a pimenta caiena melhora a saúde das artérias e ajuda a controlar os níveis de colesterol “mau”; LDL, no sangue, evitando doenças cardíacas, como pressão alta, infarto e aterosclerose.

Bibliografia:

1. Basharat Shahnai et al. Capsaicin: Plants of the Genus Capsicum and Positive Effect of Oriental Spice on Skin Health. Skin Pharmacology and Physiology – Karger Publishers. Vol.33. 6.ed; 331–341, 2021.
2. Baenas N., Belović M., Ilic N., Moreno D., García-Viguera C. Industrial use of pepper (Capsicum annum L.) derived products: Technological benefits and biological advantages. Food Chem. 2019;274:872–885.
3. Anaya-Esparza L.M., la Mora Z.V.-D., Vázquez-Paulino O., Ascencio F., Villarruel-López A. Bell Peppers (Capsicum annum L.) Losses and Wastes: Source for Food and Pharmaceutical Applications. Molecules. 2021;26:5341.
4. Sunil P., Sanjay Y., Vinod S. Pharmacognostical investigation and standardization of Capsicum annum L. Roots. Chem. Pharm. Bull. 1990;38:1299.
5. Joseph A., John F., Thomas J.V., Das S., Maliakel B., Mohan R., Krishnakumar I.M. Influence of a Novel Food-Grade Formulation of Red Chili Extract (Capsicum annum) on Overweight Subjects: Randomized, Double-Blinded, Placebo-Controlled Study. J. Diet. Suppl. 2021;18:387–405.

A forma trivalente de Crómio foi proposta como elemento essencial aos mamíferos há mais de 60 anos, por ser um elemento envolvido em várias reações bioquímicas cruciais no metabolismo, incluindo regulação do metabolismo dos hidratos de carbono, dos lípi­dos e potencialmente também das proteínas, por aumento da eficácia da insulina. Está presente em quase todos os alimentos, mas em concentrações muito baixas, pelo que a maioria do Crómio dietético pro­vém do processamento de comida em equipamentos de aço inoxidável, o que pode verificar-se insu­ficiente na sociedade ocidental atual.

Níveis de Crómio adequados parecem estar relacionados com a melhoria da resistência à insulina, ajudando na regulação dos níveis de glicose no sangue, fator especialmente relevante no controlo do apetite e inibição dos ímpetos para consumo de hidratos de carbono. O Crómio parece, também, desempenhar um importante papel anti-inflamatório, já que a atenuação da resistência à insulina resulta na diminuição de citocinas pró-inflamatórias.

O Crómio também tem a capacidade de aumentar a produção de enzimas antioxidantes e inibir a peroxidação lipídica, modulando o stress oxidativo nas células e a inflamação, causados pela hiperglicémia na diabetes tipo.

Como tal, a suplementação com Crómio é reconhecida por ser um coadjuvante no tratamento da diabetes, devido ao seu papel no metabolismo da insulina. Ativa as vias de sinalização intracelular incluindo o aumento da densidade de proteínas GLUT4 (transportador de glicose) na superfície da membrana celular e, portanto, aumenta o transporte de glicose para as células, apresentando efeitos benéficos no controlo glicémico.

Al­guns estudos relacionam o uso de suplementos de Crómio com melhorias no perfil lipídico, incluindo decréscimo dos níveis de colesterol LDL e triglicerídeos. A sua carência pode resultar em concentrações elevadas de insulina circulante, hiperglicémia, hipercolesterolémia e aumento de gordura corporal.

Bibliografia:

1. Kaplan BJ, Crawford SG, Field CJ, Simpson JSA. Vitamins, Minerals, and Mood. Psychol Bull. 2007;133(5):747-760. doi:10.1037/0033-2909.133.5.747
2. Kazi TG, Afridi HI, Kazi N, et al. Copper, chromium, manganese, iron, nickel, and zinc levels in biological samples of diabetes mellitus patients. Biol Trace Elem Res. 2008;122(1):1-18. doi:10.1007/s12011-007-8062-y
3. Sheikhhosseina Fatemeh, Amini MR, Shahinfar H, Djafari F, Safabakhsh M, Shab-Bidar S. Effects of chromium supplementation on inflammatory biomarkers: A systematic review and dose-response meta-analysis of randomized controlled trials. Eur J Integr Med. 2020;37.
4. Jafari-Vayghan H, Varshosaz P, Hajizadeh-Sharafabad F, et al. A comprehensive insight into the effect of glutamine supplementation on metabolic variables in diabetes mellitus: A systematic review. Nutr Metab. 2020. doi:10.1186/s12986-020-00503-6
5. Omid Asbaghi , Naeini Fatemeh, Rezaei Kelishadi Mahnaz, Ghaedi Ehsan, Eslampour Elham, Nazarian Behzad, Ashtary-Larky Damoon ANA. Effects of chromium supplementation on glycemic control in patients with type 2 diabetes: a systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. Pharmacol Res. 2020;161. doi:10.1016/j.phrs.2020.105098
6. Tarrahi MJ, Tarrahi MA, Rafiee M, Mansourian M. The effects of chromium supplementation on lipidprofile in humans: A systematic review and meta-analysis ofrandomized controlled trials. Pharmacol Res. 2020. doi:10.1016/j.phrs.2020.105308

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Slim Fit”
Carrinho de Compras
Nós sabemos! É uma chatice. Infelizmente este produto não está disponível mas se colocar o seu endereço de email abaixo e carregar no botão nós avisamos quando existir stock!
Slim Fit
38,00 
Scroll to Top